Destaques

Homenagem do CINANIMA a Frédéric Back, realizador franco-canadiano

No próximo dia 5 de abril, o CINANIMA – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho promove uma homenagem a Frédéric Back (1924 -2013), importante realizador recentemente falecido, vencedor do Grande Prémio do Festival em 1981 e premiado nos Óscares.  No Centro Multimeios de Espinho, pelas 21:30, será exibida a obra integral de Back, numa sessão para maiores de 12 anos e com entrada livre. Na véspera, 4 de abril é apresentada uma entrevista-documentário sobre o realizador, seguida de debate, às 21:30, na sede da Cooperativa Nascente.

Dotado de uma personalidade única, pioneiro da ecologia, amante da natureza, ativista da paz e da liberdade, Frédéric Back é autor de alguns dos melhores filmes de animação de sempre. Realizou nove filmes, dos quais quatro foram nomeados para o Oscar da melhor curta-metragem de animação e dois foram efetivamente premiados – Crac! (1981) e O homem que plantava árvores (1987) -, para além dos variadíssimos prémios conquistados em festivais de todo o mundo.

Os quinze minutos de Crac! são compostos por 8000 desenhos, onde a utilização da técnica de lápis de cor sobre acetato despolido faz com que cada um deles seja, por si só, uma obra de arte. Crac! conta a evolução da sociedade do Québec, através da história de uma cadeira de baloiço.

O homem que plantava árvores representa cinco anos de trabalho do autor que resultaram em 20000 desenhos, sobre a história de Elzéard Bouffier, um pastor da Provença que planta uma floresta numa região desértica e abandonada. O fascínio do narrador por esse homem solitário leva-o a regressar várias vezes àquelas paragens agrestes, onde a paisagem antes desolada se vai metamorfoseando, enchendo-se de bosques frondosos, carregados de vida.

Em 1996, Fréderic Back integrou o Júri Internacional da 20ª edição do CINANIMA. A cumplicidade do realizador com o Festival de Espinho é uma das boas razões para esta homenagem. Para enriquecer a sessão, foi editada uma brochura sobre o realizador, a sua vida e obra, da autoria de Paulo Barrosa, Programador do Festival.